Umidade de Construção

Publicado por Bortoncello Centerglass em

Na construção civil grande parte dos materiais utilizados necessitam de água, tanto em sua produção como na aplicação. Além da umidade resultante do próprio processo construtivo, quando a construção não se encontra totalmente protegida, ou seja, sem cobertura e revestimentos exteriores estanques, existe a umidade proveniente da água das chuvas. Em vista disso, a umidade da construção pode ser definida como o excesso de umidade que os elementos de construção apresentam, no final da construção, devido à forte introdução de água durante a sua execução.
Por vezes, estas quantidades de água são menosprezadas, mas nem sempre demonstram ser irrisórias, visto que se não forem tomadas medidas conducentes à sua rápida evacuação, podem surgir anomalias decorrente da difusão dessa umidade.
Em materiais porosos, como o concreto, a secagem passa por três fases distintas: a evaporação da água superficial dos materiais, a evaporação da água existente nos poros de maiores dimensões e, por fim, a água existente nos poros de pequenas dimensões. A primeira fase de evaporação ocorre imediatamente após a execução e durante um pequeno período de tempo. A segunda fase, desenrola-se mais lentamente, enquanto que a última, sucede ao longo dos anos correspondendo a um processo extremamente lento.
Este tipo de umidade, em geral, ocasionada em construções recentes, pode dar origem a anomalias generalizadas ou localizadas, sob a forma de manchas de coloração nas paredes de grande dimensão porém não muito escuras, presença de bolores pontuais em zonas de baixa ventilação e eventual fissuração. Via de regra, estas anomalias cessam ao fim de um período mais ou menos longo, variando com o tipo de utilização da construção, existência de ventilação adequada e a zona climática em que esta se insere.
Como medidas preventivas, é indicado a secagem rápida dos elementos construtivos através do aumento da ventilação natural associada a equipamentos de aquecimento e desumidificadores. Em seguida, deve ser realizado o tratamento das anomalias na superfície, como manchas, destacamento de pintura, fungos e bolores, fissuração, de acordo com as estratégias de reabilitação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×
Olá! Como posso ajuda-lo?